NOVO ENDEREÇO DO BHY

Posted: 11 abril 2009 | |

O blog BHY mudou para http://blogdobhy.blogspot.com/.

;-)

ESTRELA

Posted: 10 abril 2009 | | Marcador ,

Seus irmãos, primos e os amigos riam de você? Chamavam de "mulherzinha"? Ah, não ligue. Ser parecido com uma mulher, na verdade, é sinônimo de força, coragem, capacidade. Foram mulherzinhas que colocaram esses babacas no mundo. Eles não sabem. Na escola, você era o motivo da chacota? Ah, estude mais, seja caxias. Uma mulher que gosta de outras mulheres é só um detalhe, mas se você for uma lésbica inteligente, esse é O detalhe. Sua família inteira não te entendeu, seu pai quase o deserdou, teve que sair de casa? Olha, o que não falta é gente que teve que fazer isso. Por falta de oportunidades de trabalho, porque o pai queria transar com a filha, por causa de você. Há sempre uma saída, sempre. Acredite nisso. Você vai se safar. Eles não aceitam que você seja gay, lésbica? Existem milhões de pessoas que aceitam e até acham isso o melhor que há em você. Lembre-se. Amigos são a família que nos permitem escolher. Escolha bem. Saiba que não há nada errado com você. Para com isso! Que morrer, o quê?! Ninguém vai se matar aqui não. Para se manter vivo não basta apenas ter coragem. É preciso uma fé tão cega que nada possa abalar. É preciso uma alegria que para os gays é até possível, que não se abala, que tem a certeza absoluta que na próxima esquina, algo muito bom vai acontecer. Vai, sim! Acredite. Continue andando, menina que gosta de menina. Mantenha a cabeça erguida. A subida é difícil, mas é lá do alto que a gente vê o real tamanho das coisas e das pessoas. Finque sua bandeira colorida, respire bem fundo e veja só que alegria há nas estrelas. Longe uma das outras, mas unidas umas às outras porque são iguais, estão umas brilhando para as outras, ocupadas demais em reluzir, pouco se importando para o tamanho da escuridão que há em volta. É por causa de todo o mal que existe que nossa felicidade se explica. Nós não nos conhecemos, mas se você está feliz aí do lado de lá, eu estou feliz também aqui. Ele é gay, ela é lésbica, e isso é o muito pouco a se dizer de alguém.


Get Your Own Player!



Imagem

SORRIA

Posted: 07 abril 2009 | | Marcador

Fico tão feliz de não ser gay segmentado. Não escuto só música eletrônica, tampouco óperas, diva music. Não que sejam ruins. As mesmas coisas cansam. É que o que gosto de fazer no sexo não tem nada a ver com o que gosto de ouvir. Trabalho com moda e sou gay, ok, obviedade. Mas passo longe do estereótipo de estilista afeminado. Super ok quanto aos afeminados, quanto mais feminino, mais bonito pra mim. O Pepeu e eu achamos lindos os homens femininos, que aparentam fraqueza, covardia, sensibilidade. Quer ser mais interessante? Sabe, algumas bichinhas quá quá podem ser os amigos mais constantes.

Se for masculinizado, como algumas lésbicas, é lindo também. A sapatão transforma a masculinidade em algo que não intimida. É acessível, é possível de se conviver. Fico feliz de não ser gay preconceituoso, que não gosta de fanchona. Eu ADORO. Vivo caetanizando de lindos os tipos que conheço. E só o tipo homem heterossexual comum é que me entedia. Por ser tão previsível. Eles vêm com seus livros cheios de páginas em branco. Por isso se esquecem de tudo, de ligar no dia seguinte, do aniversário de 5 meses de namoro, do corte de cabelo. E tentam consertar tudo com aquela coisa machista, aquela típica dos cameras men: são sem graça, gostam de futebol e só filmam as bucetas das piranhas que aparecem nos programas da TV. Ok também, mas tão sem graça. Mas sabe, alguns héteros podem ser os caras mais legais.


Já passei da "fase boate" há séculos, nem lembro mais como é. Nada contra mesmo, nada a favor também. Boate é aquela coisa: você não conhece a pessoa, conhece a sombra que ela é naquela escuridão. Você não ouve a pessoa, escuta uns murmúrios enquanto a Kylie Minogue berra no remix. Pode ser muito divertido ir à boate, mas também muito parecido, sempre. Mas sabe, você pode encontrar aquela pessoa INCRÍVEL na boate, no dark room, no parque de pegação. Ou se transformar numa.

Quanto menos me reconheço gay, mais viado me sinto. E sei disso quando meu amigo bichinha chega com a sapatona - que veio dirigindo - e buzinam pra mim. Eu sorrio e vou com eles. A gente vai dar carona prum amigo hétero que vai jogar futebol. E depois, pra onde estamos indo não há nada a comprar, nada a vender. Falamos ao celular, mas desligamos os computadores, o Ipod, o I-qualquer coisa. Mac? Só se for chiken. Não lemos rótulos, passamos a vista em bulas. Estamos ocupados demais em sentir como é simples ser somente feliz. E nós somos e toda vez que passamos por você, buzinamos. Não estamos nem aí se você gosta de pinto, buceta ou melancia.

Quando a gente passar, sorria.

Imagem: Reprodução

BE HAPPY

Posted: 05 abril 2009 | | Marcador

"A lot of bad things are going to happen to you. First off, you’re going to die. So, that said, there’s not much to worry about. No matter what else happens, you really only have two options: you can either handle things well and be happy, or you can handle them poorly and be miserable." Darker Me.


PRA TODO O MAL HÁ CURA

Posted: | | Marcador ,

Passou o filme do Cazuza. Lembro da capa da Veja com ele, o horror! Tanta gente ficou assustada. Eu era adolescente, gay e confuso, morria de medo de transar e pegar uma doença. Era ruim demais ter a sexualidade associada a risco de vida. E Cazuza cantava esse medo, todos os medos de quem estava assistindo à própria morte. Com uma coragem que, suponho, poucos teriam. Eu ficava ali, num canto, remoendo esse medo de querer fazer sexo. E não tinha ninguém para falar sobre isso. Disparar a metralhadora cheia de mágoas. Um cara. Mais um cara.

Aí, anos depois, um médico, claramente homofóbico, me disse que todo homossexual possuía algum tipo de distúrbio emocional. Aquela mesma velha grande novidade: homossexuais são doentes, de alguma forma. Engraçado é que, apesar de estar bem nervoso, e com receio de estar com alguma doença séria, se é que existe doença engraçada, eu não tinha problema algum por ser gay. Eu sou muito hipocondríaco e um pouco medroso. Talvez porque quando comecei a querer sentir desejos, via capas de gays morrendo por causa da AIDS. Aquilo era assustador, ainda é.

Mas ali, de cara pro médico, não era AIDS ou qualquer outra doença que eu tinha. Eu estava com anemia e nem passou pela esfera homossexual o diagnóstico da doença. A questão é que ele fazia perguntas para preencher o questionário e chegar ao diagnóstico. Receitar remédios e conselhos de uma melhor alimentação. Ele perguntou se eu tinha algum tipo de vício, como beber muito e ficar sem comer, ou usar drogas e passar muitas horas sem se alimentar. E na sequência, vinha essa questão de ser ou não gay. Não entendi.

Pra anemia há cura, pra AIDS, não. Fico horrorizado com essa onda de "barebacking" que assola o meio gay, apenas 20 anos depois do boom dessa doença gravíssima. Mas assustadora tão quanto era a homofobia singela daquele médico. O doente ali era ele, gravíssimo, e com pouca chance de recuperação.

Imagem

SEU COMPUTADOR

Posted: 02 abril 2009 | | Marcador

Deus, quando vem à Terra, passa longe de igrejas e templos. Essas coisas monstruosas com piso de mármore pouco interessam a Ele, que criou o universo. O Filho e o Espírito Santo também não gostam de ir. Aliás, Eles acham chatíssimos crismas e cultos. Barulhentos. Jesus é muito simples e abomina tudo que é óbvio demais. Por sua vez, o Espírito Santo foge de barulho como o diabo foge da cruz. Ele precisa de leveza, por ser leve, e só se aproxima no silêncio, porque esse explica melhor. Se a presença de Jesus acalma, a do Espírito, esclarece.

Deus acha graça de tudo isso, dos gostos pessoais de seus filhos próximos, ou dos que longe vivem. Acha particularmente risível a tentativa vã que certos filhos fazem de tentar explicá-lo. De dizer o que fazer para agradá-lo. Ele fica impaciente porque os homens, ah, filhinhos, não sabem o que fazem porque pegam um livro antigo, cheio de pensamentos que não se renovam e regras que não se adaptam a nada e passam a pregar. O Filho comenta que eles pregam é peças e Deus ri e balança a cabeça, olhando pro chão. Deus tem a paciência do mundo. E depois que Ele olha abaixo, flores nascem vagarosamente sem ruído.

Deus então não está na igreja católica, nunca esteve. Tampouco nos templos evangélicos, nos programas da madrugada na TV, na Missa do Galo. Vaticano? Deus nem lembra mais onde fica. Ele está lá, porque está em todo lugar, mas você não pode achá-lo, entende? O Todo-Poderoso está em outros lugares.

Deus está no suor que escorre nas costas, de muito cansaço, por tanto trabalhar nesse país tropical. O homem exausto não vê, mas sente. Deus está lá. Ele está no suspiro de paciência que o namorado solta para não brigar com o outro. São gays e namorar já está tão difícil pra todo mundo, imagina para os viados, que vivem desafiando estereótipos. Deus se espalha no ar que sai da boca do namorado resignado. E o seu amor sente. Não vê, mas sente. Deus se ajunta de novo e os faz ficarem juntos. Deus está na mão que segura o filho recém-nascido, a mãe meio dormindo, meio acordada dá o peito para o filho, que nem sabe disso direito, e se alimenta e cresce e depois esquece. Deus, não.

Deus está nisso, naquilo que é ínfimo, centesimal, pouco explicável. Ele está nos espaços entre as palavras quando sinceras. No barulho que fazem moedas de centavos. Ele está na sandália Havaianas furada, na goteira, na cama que range. Deus tarda, jamais falha e sempre espera. Ele também está na bolsa cheia de dólares, no salto scarpin, no corredor do shopping. Mas se é caro, é pra poucos, e Deus é social. Deus gosta de ser popular.

Jesus tem razão quando acha divertido as tentativas megalomaníacas dos homens em representá-los. Todos equivocados. Deus não está no meio de multidões, nas imagens ricas ou nas sacristias caras. Deus não se mostra pelo papa, o padre ou o pastor. Ao invés disso, e muitos antes pelo contrário, Ele está no avesso de um pedaço de pão, o mais pequeno, e no pouco que cabe de bebida vermelha na taça barata. Deus se despede na mão daqueles que escrevem torto. Na hora em que seu computador está salvando as suas configurações, Ele continua ligado. Deus sempre esteve certo, ao lado, e por perto.


Imagem: Darker Me

1ª DE ABRIL*

Posted: 01 abril 2009 | | Marcador

_ Olha, mona, vou te dizer: eu já fiquei com os grandes, viu. Assim, g-r-a-n-d-e mesmo, falando igual àquela menina do comercial do Tang.
_ Ai, viada, cê tá cacura, hein? Eu sei lá de comercial de Tang. Bebo isso, não, bicha!
_ É, cê bebe é pinga que eu sei, cachaceira.
_ Gente, cê num ia contar alguma coisa que começa com "grande"? Deve ser muito melhor que esse papo.
_ É, já fiquei com grande e já fiquei com pequeno...
Uma olhou pra outra, 3 segundos de silêncio, depois falaram juntas:
_ R-O-D-A-D-A!
_ Sou sim, e daí? Eu dei, peguei de volta, lavei e tô linda! E vou te contar: o pequeno funcionava muito mais.
_ Cê tá louca! Toco só serve pra fazer fogueira em ilha abandonada, mona. Tá bonita?
Elas se olharam de novo, mais 3 segundos de silêncio, e soltaram:
_ 1º DE ABRIL!!!
_ Ai, mona, ainda bem. Achei até que cê tava falando sério. Ia começar a sair com anão de jardim, ver duende, aff...
_ É, aquela coisa Xuxa, cê viu?
_ Eu não! Cê tá louca? Ficar em casa sábado à noite...


E passaram por mim, rindo muito, rebolando muito, muito bicha. O melhor da conversa foi o "aff!", e claro que ontem não era 1º de abril, mas quem há de contestar? Ó, e sei lá se concordo totalmente com elas porque há que saber como usar e tal... Papo longo, rá! Que SEJE, amo as beesheles.

* O título do post tá certo: é 1ª mesmo.

Imagem: Reprodução

VAI CAVILL

Posted: 31 março 2009 | | Marcador


Nunca assisti, mas ele é o melhor da série The Tudors. O ator britânico Henry Cavill, de 25 anos. Ó, tá na batalha, viu. Tentou vários papéis, fez audição para "Batman Begins", para o papel de James Bond e também o papel principal em "Superman Returns". Mas fica muito bem com roupas cheias de babados e essa calça balonê de gomos. O gajo gosta de Rugby (aquela briga com corrida que juram que é esporte) mas não pode jogar devido a lesões (ahn... deve ser porque foi a muita audição, ator desconhecido, sem dinheiro pra condução). Ah, e ele tem aptidão para aprender idiomas, quer dizer.

Gosta de língua?

Imagens: Reprodução

QUE

Posted: 30 março 2009 | | Marcador , ,

que venha brando como tempestade
que por hora dorme no copo d'água
que mate a sede que permanece
por não ter vivido o que não pude
que seja açude a falar como fonte
que leva embora o que for anseio
que me acerte bem no meio
palpitante
e me cubra por inteiro
que me leve o mais longe de mim
e ainda assim
leve
que se demora pois se ainda não veio
que seja breve e depois se demore
para sempre a todo instante.

Imagem: Reprodução

CALE A BOCA

Posted: | | Marcador

O que vai fazer sua namorada sentir falta de você não é nada do que acha que é. Não importa se você é uma mulher direita, que nunca a traiu enquanto estavam juntas e que agora que sua ex não a quer mais, não vai cair em tentação. Engano. Você vai querer cair, tropeçar, se esborrachar em tentação. Porque você vai sentir falta dela. Muita. Dessa falta que você acha que vai diminuir com o tempo; mas não. Quanto mais os dias passam, maior é a saudade, tão grande que você nem a vê, mas que a sente cada vez mais sob a sua sombra. Você vai querer beijar outra mulher para tentar esquecê-la. Arrancar a cabeça da ex e colocar uma nova cara naquele corpo ausente à sua frente. Mas na hora H, vai mudar de ideia, vai se arrepender. Porque vai se lembrar por que ainda a ama.


Vai lembrar de todas as vezes em que ela murmurou uma música preferida, enrolada na toalha, cheirando ao sabonete que você comprou. Daquela amiga vendedora da Natura, insistente e inconveniente, que lhe deixou de cara amarrada e você, para que sua ex não ficasse chateada, fez a cortesia de comprar qualquer coisa pra ela sumir da sua frente. Você vai se lembrar do cheiro dela no sutiã trocado que vestiu por engano. Vai se lembrar dela quando passar o filme com sua atriz preferida. Você vai se lembrar muito mais das vezes em que calou-se diante do surpreendente: ela era estonteante em qualquer ocasião. Mesmo quando chegava estourada de cansaço, carregando sacolas de supermercado às 6 da tarde. Vai ser tão intrigante porque ela vai parecer que está em todos os lugares quanto mais você percebe que ela já não está ali. Se você ainda não consegue esquecer e a ideia de pedir pra sua namorada voltar pra você é menos humilhante que suportar essa dor em silêncio, não cale a boca. Se você levar outro "não", já está acostumada; nem vai doer. Mas pode ser um "sim", quem sabe ela pensa nas mesmas coisas que você?

Imagem